Construção do Akula da Dumas

Fórum específico
Responder
José Franco da Costa
Capitão de Fragata
Capitão de Fragata
Mensagens: 447
Registado: segunda out 16, 2006 10:29 pm
Localização: Caparica

Construção do Akula da Dumas

Mensagem por José Franco da Costa » quarta out 18, 2006 12:43 pm

Ao iniciar-me no modelismo naval optei pelos submarinos.

Pretendia um modelo pequeno no qual o desafio não estivesse nos detalhes, mas nas particulares relacionadas com a especialidade dos submarinos.

Depois de uma exaustiva pesquiza na Net optei por um modelo considerado não só simples mas também indicado para a iniciação: o Akula da Dumas.

Há outros modelos do Akula fabricados por outras empresas, noutras escalas, mais ricos em detalhes e com vários tipos de sistemas de imersão.

Poderão acompanhar uma descrição (com fotos) do Akula e da sua construção no seguinte sítio:

http://www.rccaraction.com/RB/reviews/akula_sub.asp

O modelo, porém, não é tão aparentemente fácil de construir como se sugere no artigo referido.

Há muitos problemas com a garantia de estanqueidade dos sistemas.

Os compartimentos estanques (proponho que se refiram por CE em vez da sigla inglesa WTC) são bastante toscos e constituidos por duas meias peças que se juntam a meio. Aí e nas suas várias perfurações para atravessamento de equipamento residem os principais problemas de estanqueidade.

Note-se que, mesmo com o modelo à superfície, os CE estão todos completamente imersos.

Feito e experimentado é um modelo muito agradável de comandar e tem um comportamento muito real.

Penso que é uma boa opção custo/qualidade.

Se quizerem mais pormenores das dificuldades que senti e como as fui ultrapassando, é só dizerem.
Cumprimentos,

José Franco da Costa

Avatar do Utilizador
Bruno
Sargento-Chefe
Sargento-Chefe
Mensagens: 105
Registado: terça out 11, 2005 9:51 pm
Localização: Setúbal

Mensagem por Bruno » quarta out 18, 2006 1:48 pm

Olá, a muito tempo que ando para ver se me meto nos submarinos , a algum tempo atras fiz um caseiro e não funcionou mto bem, aquilo era so meter agua :oops: tenho só uma pregunta para te fazer? onde compras-te o teu submarino e se não indescrição quanto custou com portes.

Espero que apareças em setubal um dia para vermos o teu sub, infelizmente nunca vi menhum submarino "a serio" a navegar.

José Franco da Costa
Capitão de Fragata
Capitão de Fragata
Mensagens: 447
Registado: segunda out 16, 2006 10:29 pm
Localização: Caparica

Mensagem por José Franco da Costa » quarta out 18, 2006 2:17 pm

Bruno, obrigado por ter lido e respondido à minha mensagem.

A ideia era essa. Pôr a malta a falar em submarinos. Já lá está outra provocaçãozinha.

Comprei o Akula (que em russo significa tubarão, passe a curiosidade) directamente ao Mike Shubar nos EUA.

O modelo tem vários kits e comprei o mais caro que incluia rádio, pilhas, motor, servos, elctrónica (transformador, variador e estabilizador) e ficou-me aproximadamente em 450 € com transportes e DIREITOS ALFANDEGÁRIOS - cujo burocracite custa a cumprir para quem, como eu, não está habituado.

Os problemas de estanqueidade também são caso sério neste modelo. Hoje, porém, com a experiência que entretanto colhi, muitos deles nem se poriam.
Cumprimentos,

José Franco da Costa

Avatar do Utilizador
Bruno
Sargento-Chefe
Sargento-Chefe
Mensagens: 105
Registado: terça out 11, 2005 9:51 pm
Localização: Setúbal

Mensagem por Bruno » quarta out 18, 2006 3:55 pm

Obrigado pela rapida resposta, acho que vou arriscar-me pelo kit basico, já agora achas que´é possivel colocar uma caixa estanque do tipo cilindro? sem usas a que vem no kit?

O kit basico fica em 119 dolares acho bastante aceitavel, não quero nada de muito xpto para começar e gosto muito do AKula.

Vou ver se consigo encontar o kit na europa ;-)

José Franco da Costa
Capitão de Fragata
Capitão de Fragata
Mensagens: 447
Registado: segunda out 16, 2006 10:29 pm
Localização: Caparica

Mensagem por José Franco da Costa » quarta out 18, 2006 4:52 pm

Bruno,

Já tinha visto o preço. Parece-me uma opção muito aceitável.

Quanto aos CE, parece-me boa ideia pôr 2 (1 para pilhas e outro para a "tralha") e descartar os do kit.

Não há problema nenhum na substituição, antes pelo contrário.

O espaço bruto interior do casco deverá suportar um cilindro com até 7 a 8 cm de diâmetro.

Os únicos constrangimentos que vejo são a saída do veio do hélice (fica mais ou menos horizontal e a meio da altura e largura do casco) e a saída dos comandos de leme e superfícies móveis de ré, que terão de ser devidamente compatibilizados. Porém, isso não será dificil.

Quanto a encontrar o kit na Europa, ... se o conseguisse também o tinha comprado cá. Havia um vendedor em Londres que, aparentemente, o Mike Shubar absorveu.
Cumprimentos,

José Franco da Costa

José Franco da Costa
Capitão de Fragata
Capitão de Fragata
Mensagens: 447
Registado: segunda out 16, 2006 10:29 pm
Localização: Caparica

Mensagem por José Franco da Costa » segunda out 30, 2006 12:20 pm

Há quinze dias que isto está parado. Portanto, actualmente, o interesse sobre a construção deste modelo não é muito grande.

De qualquer maneira, a modos de encerramento e para não deixar os comentários tão no início, aqui vão mais alguns. Talvez os últimos ... se não houver novos interessados.

O Kit, no que diz respeito ao casco, não tem qualquer problema de execução. É só cortar meia dúzia de peças e colá-las (são mesmo meia dúzia ... meio casco inferior, meio casco superior do qual se tira a proa superior, torre e duas metades do conjunto de ré). Os plásticos são bem acabados e a tinta adere-lhes bem. Nada a dizer.

Os CE's têm vários problemas. São dois: um para as baterias e outro para motores, receptores, servos e demais tralha que se queira colocar para facilitar a navegação do modelo.

Vamos ao das baterias.

Basicamente é uma caixa plástica, constituída por duas metades iguais que se juntam a meio (tipo equador). O plano prevê a colagem nos bordos da união das metades da caixa de uma fita emborrachada que fará a vedação quando comprimida por um tubo, serrado ao longo de uma geratriz, que é colocado a apertar as duas abas.

Esta solução de serragem do tubo e do aperto das duas abas é de difícil execução e toda concepção é fracota. Preferi colocar um cordão de veda e cola (este material foi mais eficaz a vedar que o silicone) e pronto.

O plano prevê a colocação na metade superior da caixa de duas rolhas de garrafas de refrigerantes para acesso simples às fichas e ventilação durante o carregamento. Só consegui vedar estas duas tampas com teflon na rosca e vedante de borracha na tampa.

A caixa é perfurada para passagem de cabos das baterias aos locais de consumo no outro CE, que resolvi com atravessamentos em tubo de silicone devidamente recobertos com cola e veda.

A fixação deste CE ao casco fica ao critério do modelista. Qualquer coisa serve desde que fique fixo.

O segundo CE é que é o busilis.

Entram cabos da bateria (2), saiem varetas de comando das superfícies móveis, interruptor e veio do hélice.

Os cabos da bateria fiz igual aos do CE das baterias. O veio do hélice, montado como no plano, não chateou. As saídas das varetas ai, ai, ai.

O construtor diz que o compartimento é estanque, mas manda colocar outra rolha de garrafa de refrigerante para escoar àgua que se infiltre...

De facto dá jeito pois infiltra-se muito mais do que dizem (1 hora = 1 colher de sopa de água)

O Kit traz umas peças de latão, cilindricas, com dois diâmetros diferentes, formando uma camisa, no interior da qual passa a vareta. É uma espécie de passa-fios metálicos.

As peças têm O-rings nos extremos e devem ser cheias de gordura para ajudar a vedação.

Acontece que as paredes do CE não são perpendiculares às varetas. Isso implica que as tais peças de atravessamento não ficam bem ajustadas à parede do CE, pois têm que ficar horizontais.

Levei que tempos à volta disto pois para desmanchar o CE é preciso arrancar o silicone - depois veda e cola -para se aceder e reparar.

Acabei mantendo as peças, colocando foles de borracha e vedando tudo com veda e cola pelo interior e exterior da parede do CE. Não fica bonito.

Os suportes para o motor e servos do kit que vão neste CE, podendo ser melhorados, são suficientes. Valerá a pena repensar o conjunto para melhorar o alojamento do receptor.

O interruptor que vem no Kit é bom e veda sem problemas.

A fixação deste CE ao casco é por colagem. Sem problema de maior na sua execução.

A fixação dos dois meios cascos é pouco eficaz. Pus velcro e resolvi o problema. O meio casco superior, com a fixação prevista no kit, chegou a separar-se do barco quando a experimentar levei o acelerador todo abaixo ...

A lastragem não é difícil. Pondo o chumbo em esferas ou em vulgares chumbadas de pesca. Atenção, não é pôr chumbo a encher. Há que manter tudo centrado respeitando as simetrias do modelo.

Depois foi pô-lo na água e gozar, até pifar o variador e ter de desmanchar tudo outra vez ... Modelismo é masoquismo!
Cumprimentos,

José Franco da Costa

Responder