Spinnakers

Responder
Avatar do Utilizador
pjesus
Almirante
Almirante
Mensagens: 7186
Registado: quinta ago 10, 2006 10:21 am
Localidade: Sobreda
Localização: Parede
Contacto:

Spinnakers

Mensagem por pjesus » quarta mar 28, 2007 5:46 pm

Este tipo de velas (spinnakers e gennakers) raramente são usados em modelos por várias razões, nomeadamente pela complexidade e pelo facto de não permitirem todas as mareações o que se torna um grande inconveniente (não temos Liliputianos para subir e descer o balão a meio do lago)

De qualquer modo acho que merecem um topicozito, até para não encher os tópicos dos modelos à escala com conversas meio off-topic.

Muito longe de ser um entendido na matéria, já tenho feito umas cambadelas por aí, algumas vezes acompanhadas de cangochas que normalmente resultam em susto e posterior gargalhada.

Peço que complementem, discutam e corrijam (Mestre Skipa, Prates e demais, isto é convosco)


Spinnakers (ou spis simétricos)
O chamado "balão"...

É uma vela grande e leve que só tem um punho fixo (o da pena).
Os outros dois punhos são ligados a uma escota (o punho de sotavento) e a uma alanta e ao famoso pau de spi (o de barlavento).
De notar que ao cambar os 2 cabos - alanta e escota - trocam de função, logo de nome.
Imagem

Pau de spi
É um tubo geralmente de alumínio ou carbono que tem uma das pontas presa a um anel no mastro e a outra ponta junto ao punho do balão, por intermédio da alanta.
Imagem

Cambar
O cambar implica trocar os punhos do spi.
Neste processo, o proa tem que meter a escota na ponta do pau que estava no anel do mastro e do outro lado soltar a alanta e prender no mastro.
Tudo isto tem que ser feito muito coordenado com o trabalho de leme.

Gennakers (ou spis assimétricos)
Um gennaker é, como o nome indica, uma vela parecida com uma genoa, com a diferença de que é maior e feita num material mais leve, e a testa não enverga no estai real.

O punho da amura é preso à proa normalmente numa arreigada ou num bowsprit/gurupés (pau que sai da proa):
Imagem

Dada a configuração, é muito mais fácil cambar com um balão assimétrico (mesmo tendo que passá-lo pela frente do estai real), uma vez que nem envolve participação do proa para manusear o pau de spi.

Um spi assimétrico pode também ser envergado num pau de spi simétrico colocado no enfiamento da proa:
Imagem

Este tipo de balões é menos eficaz à popa mas mais eficaz a um largo e permite andar mais orçado do que um simétrico.
Nesta foto podemos ver que o barco vai praticamente à bolina, apesar de ter o balão içado.
Imagem

Pelo que tenho visto, e talvez pela simplicidade de utilização, é mais usado em barcos de cruzeiro, mas há também barcos de competição pura (o Melges 24, p.ex.) que usam assimétricos...







Agradecimento ao Skipper pelos ensinamentos que tem transmitido nos outros tópicos.

Avatar do Utilizador
Skipper
Contra-Almirante
Contra-Almirante
Mensagens: 1838
Registado: sexta set 22, 2006 1:32 am
Localidade: Caxias
Localização: Caxias

Mensagem por Skipper » quarta mar 28, 2007 7:18 pm

pjsus Escreveu:Agradecimento ao Skipper pelos ensinamentos que tem transmitido nos outros tópicos
Não é para agradecer. Faço-o de muito boa vontade. Gostaria é que os que também estão familiarizados com estas coisas da vela, fossem dando umas achegas para todos aprendermos algo.

Quanto à mensagem do Tiago, além de completíssima, está muito bem explicada.

Duas ou 3 achegas ao que escreveu:

1 - Barbarola era uma artista de strip aquidos "bas fond" da noite lisboeta. O nome correcto é barber hauler.

2 - Gaio ou burro.

3 -
pjsus Escreveu:Neste processo, o proa tem que meter a escota na ponta do pau que estava no anel do mastro e do outro lado soltar a alanta e prender no mastro.
Este é um dos métodos, creio eu, mais usado na vela ligeira e em veleiros mais pequenos. Com spis maiores, resulta melhor que a extremidade do pau que estava no mastro, seja sempre a mesma. Geralmente, na manobra de cambar com spi, este fica momentâneamente sem pau (sem bocas, ok?) e a extremidade que estava a segurar o spi num punho, passa a segurar no outro punho. Para mudar o pau de bordo, é normalmente necessário desengatá-lo do mastro pois, se não o fizermos, não passa no estai. Pelo menos, é assim que tenho visto fazer com spis de maiores dimensões.
O pessimista queixa-se do vento.
O optimista espera que ele mude.
O realista ajusta as velas.
Bons ventos!

Carlos Mariano
Almirante
Almirante
Mensagens: 3812
Registado: domingo out 09, 2005 11:41 pm
Localidade: Cascais
Contacto:

Mensagem por Carlos Mariano » quarta mar 28, 2007 7:40 pm

Luis olha aqui em baixo :lol: no tópico a seguir ....chegou um fax para lhe responderes :mrgreen: :mrgreen:

Avatar do Utilizador
joão fernandes
Comodoro
Comodoro
Mensagens: 1396
Registado: quinta jul 06, 2006 9:42 pm
Localização: Évora
Contacto:

Mensagem por joão fernandes » quarta mar 28, 2007 10:33 pm

Boas. Grande Tiago, está muito boa a tua introdução aos Spis.
Agora completando a explicação do Luis (Skipper) sobre o cambar spis simétricos em barcos de grande porte (com paus de spi realmente pesados). Há uma solução para passar o pau de spi por baixo do estai real sem o desencaixar do mastro (enquanto o spi voa sem pau...). A argola do mastro onde o pau está preso tem um carro que sobe e desce. Basta subir o carro o suficiente para o pau de spi passar de um lado para o outro. Costuma-se fazer isto antes da manobra de cambar (para que esta corra o mais rápido possivel), depois de cambar volta-se a colocar o apoio do pau no mastro na posição ideal. Para os timoneiros mais inseguros existe também a solução de cambar com dois paus. Coloca-se o segundo pau (a sotavento), camba-se e depois retira-se o primeiro (agora a sotavento).
Uma curiosidade, com pouco vento, um spi simétrico tri-radial consegue ângulos de orça entre os 45º e 50º, isto mantendo uma velocidade superior do que se estivesse-mos a usar uma genoa. A esta relação Velocidade/ângulo chama-se VMG (velocity made good). Está sempre ligada ao tipo de velas que estamos a usar.
Espero não ter complicado
The difference between men and boys is the price of their toys.

Avatar do Utilizador
pjesus
Almirante
Almirante
Mensagens: 7186
Registado: quinta ago 10, 2006 10:21 am
Localidade: Sobreda
Localização: Parede
Contacto:

Mensagem por pjesus » quinta mar 29, 2007 9:55 am

Pois, as minhas "explicações" derivam da minha experiência com a vela a que eu chamo semi-ligeira (entre a "vela molhada" e a de cruzeiro - ou cabinados de regata), por isso muito obrigado pelos acrescentos ;-)

Tudo isso que referiram eu gostava de experimentar como continuação da formação como proa.

Luís, pelo que percebi das fotos (que já me enviaste mais do que uma vez :neutral1:) o Melody usa um assimétrico, senão até te pedia que me deixasses manusear o teu pau... :lol:



Só não gostei que o Skipa chamasse nomes à barbarola :cry:

Avatar do Utilizador
Skipper
Contra-Almirante
Contra-Almirante
Mensagens: 1838
Registado: sexta set 22, 2006 1:32 am
Localidade: Caxias
Localização: Caxias

Mensagem por Skipper » quinta mar 29, 2007 10:29 am

pjesus Escreveu:Luís, pelo que percebi das fotos (que já me enviaste mais do que uma vez ) o Melody usa um assimétrico, senão até te pedia que me deixasses manusear o teu pau...
Pois não te ponhas com frescuras porque o Melody tem pau, e dos grandes. Tão grande que o tenho na garagem em casa da minha mãe. Ainda por cima é telescópico... Para o levar para onde está tive que pedir a um amigo que tinha um Grand Cherokee, para o transportar. Aí se encontra desde esse dia.

Como fazia muitas regatas, optei por fazer a declaração para o "rating", sem pau. A utilização do pau penaliza bastante em termos de rating e a tripulação nem sempre era a ideal. Era mais um zingarelho a demorar as manobras, para regatas com "pernas" relativamenete curtas em que se iça várias vezes o spi.
O pessimista queixa-se do vento.
O optimista espera que ele mude.
O realista ajusta as velas.
Bons ventos!

Carlos Mariano
Almirante
Almirante
Mensagens: 3812
Registado: domingo out 09, 2005 11:41 pm
Localidade: Cascais
Contacto:

Mensagem por Carlos Mariano » quinta mar 29, 2007 11:55 am

É pá ,ó Luis pá , tu tens o teu pau arrumado? Na garagem da tua mãe...então não achas que está longe para o ir buscar,apesar de ser telescópico podias tê-lo contigo pá .Deve ser um belo pau não ,há gajos com sorte :D

Avatar do Utilizador
Skipper
Contra-Almirante
Contra-Almirante
Mensagens: 1838
Registado: sexta set 22, 2006 1:32 am
Localidade: Caxias
Localização: Caxias

Mensagem por Skipper » quinta mar 29, 2007 12:44 pm

É grande demais para andar a bordo. Tenho a impressão que se o vendesse pelo preço justo, daria quase para comprar outro barco. :lol: :lol: :lol:
É um Kemp. A mesma marca do mastro.
O pessimista queixa-se do vento.
O optimista espera que ele mude.
O realista ajusta as velas.
Bons ventos!

Responder